sexta-feira, março 23, 2007

DIFERENÇAS EXISTEM!!!


Antonio e Josefa, (Zéfinha como ela gosta de ser chamada) estavam casados há doze anos.

Deste casamento já tinham-lhe rendido oito filhos.

A vida deles não era nada fácil. Trabalhavam do amanhecer ao anoitecer todos os dias da semana. A lavoura era o local de trabalho dos dois, acompanhados dos filhos maiores, que já iam para a lida.

Iam levando sua vidinha. Zéfinha trabalhava como louca, na roça e em casa, quando chegava à noitinha, enquanto preparava a janta, contava com a ajuda dos filhos maiores para dar banho nos menores, antes que eles dormissem sem banho e sem a janta.

Uma ou duas vezes na semana, Antonio celava o cavalo, tomava seu banho, se arrumava, deixava Zéfinha com os meninos na lida, e ele, rumava para a cidade, com o pretexto de fazer as compras da semana. Saía logo após o almoço, e para casa só retornava na madrugada.

Não bebia, não tinha vício do jogo, mas as mulheres eram a sua perdição.

Zéfinha vivia sempre cansada, estava sempre igual, todos os dias. Quando ele chegava na cidade e via aquelas mulheres com roupas bonitas, poerfumadas, ah! aquilo era demais prá ele. Quando as via, ficava como um perú, se abria todo, e ciscava como galo, quando caía franga nova no terreiro.

Zéfinha quase nunca reclamava, as poucas vezes que o fêz, ele dizia que ela tinha que entender, que eles eram diferentes. Que tudo aquilo era só prazer, que sexo era diferente de amor. Amor ele só tinha por ela. Ela amargurada, apenas chorava. Quieta.

Alexandre e Andréia. (Alex, como ele gostava de ser chamado.) Estavam casados há oito anos. Tinham dois filhos.

Andréia e Alex trabalhavam, e os filhos ficavam em uma escolinha.

Haviam acabado de pagar o apartamento, e estavam pensando em comprar um carro novo para Alex, e Andréia ficaria com o carro que tinham, uma vez que era mesmo ela quem mais usava.

Ao sair do trabalho, pegava as crianças, e ao chegar em casa, cuidava do banho deles, do jantar, das lições de casa que traziam. Enfim, quando caía na cama, estava exausta.

O Alex sempre chegava mais tarde. No início, porque precisava trabalhar mais, para conseguir pagar o apartamento, depois para não brigar com Andréia, que estava sempre cansada quando iam se deitar. A vida conjugal estava uma droga.

Ele em plena atividade sexual, tudo nele funcionando a mil, e ela um fracasso! Ela tinha que entender, precisava de sexo, então se não tinha em casa, tinha que procurar lá fora.

Saía do trabalho e ia com os amigos tomar umas cervejas, e muitas vezes daí rolava bons encontros, com mulheres que ele sempre sonhou. O peru se abria todo.

Vai continuar.....

22 comentários:

Miguel disse...

Aninha,

Muitos parabéns pelo teu look ...!
Adorei ...!

UM BOM FDS!
Bjks da M&M & Cª!

Lord Broken Pottery disse...

Aninha,
Aguardo curioso o próximo capítulo. Devolvi a referência lá no Lord Broken Pottery. Espero que você goste.
Beijão

D. Afonso XX, o Chato disse...

Um dia queria ver alguém contar sobre as mulheres que agem assim. E são muitas, hehehe bjs

O Meu Jeito de Ser disse...

Afonso:
Aguarde.
Beijos

denise disse...

Hummm, já fui protagonista de um filme assim...
Aninha, minha linda, vim retribuir teu carinho e amizade, que me são muito caros.
beijo grande, menina

Cejunior disse...

Oi Aninha, estou aguardando o resto do conto.
Beijos

Wagner disse...

Nossas diferenças talvez seja o que há de mais em comum entre nós humanos...

abração! amei o blog!

O Meu Jeito de Ser disse...

Miguel obrigada pela visita.
Beijos na Matilde.
Beijos à vc e a Lígia.

O Meu Jeito de Ser disse...

Lord, na segunda contoo final.
Já fui lá ver seu post, e gostei, acho que este assunto ainda pode render bastante.
Um beijo

O Meu Jeito de Ser disse...

Na verdade Denise é a história real, que em muitos aspectos cada um de nós é personagem. Terá sempre uma ou outra situação em que nos identificaremos.
Beijos querida

O Meu Jeito de Ser disse...

Cejúnior, obrigada pela visita.
No início da semana termino a história.
Um beijo

O Meu Jeito de Ser disse...

Wagner, é exatamente isto. Somos iguais, porque todos temos diferenças.
Tentei retribuir sua visita,mas não consegui chegar.
Seja bem vindo.
Um abraço

DO disse...

Eita que esta história promete,Ana. E se te conheço um pouco,deve ser real,não é??
Ficou muito legal o novo visual.
Beijos e otimo fds!!

Elizabeth disse...

O Ana, Seus casos estão iguais aos filmes do Batman que eu assistia quando crianca." to be continued" sempre deixando a gente com vontade de quero mais. Espero que o final seja antes da sexta quando viajarei e ficarei sem pc por um mes.
Beijos

Renata disse...

Aninha, eu também estou na fila de espera das cenas do próximo capítulo!!! Bjo e bom fds!

aninha-pontes disse...

DO, a história é real sim.
fatos que aconteceram com pessoas próximas, vc sabe né? eu só sei escrever assim, coisas que vivi, ou que presenciei de pessoas próximas. Amanhã vou postar o final.
Um beijo

O Meu Jeito de Ser disse...

Beth fica tranquila, eu não faria isso com vc, de te deixar viajar sem saber o final da história.
Amanhã vai estar no ar.
beijos

O Meu Jeito de Ser disse...

Renata meu bem,. que legal que vc veio me ver.
A história termina, mas o exemplo não. Já pudemos ver pela primeira parte narrada, que muita gente ainda se inclui nestes casos.
Não deixa de ser o dia a dia de muita gente.
beijos menina

nancy moises disse...

Querida obrigada pelo seu carinho viu.. adoro passar por aqui.Bom final de semana pra vc tbem..
bjss

Francy&Carlos disse...

AMIGA,
Este blog está lindo.....parabéns!!!
Li as duas histórias e elas são a pura realidade.
Bom domingo.
Beijinhos,

Sonho Meu disse...

Aninha querida,
O filhão já se foi e to com mais tempo pra tudo.
Recebí seus presentes lindissimos e ja postei fotos. Lindos, lindos
Vai lá conferir.
Beijao, linda.
me

denise disse...

Aninha, mandei email pra vocês!
Tô aguardando o próximo capítulo...
beijo,menina