sábado, setembro 30, 2006

QUE TEMPINHO!

Ontem voltou a chover, também caiu um pouco a temperatura.
Choveu a noite toda, e até agora não parou nem um minuto.
Não sei se pela proximidade com o mar, aqui chove muito.
Levantamos cedo, e aí não teve jeito. Vim para o PC, as vezes vou até à janela do meu quarto para olhar a chuva, de lá é essa visão que tenho do quintal.
Ficamos aqui eu e o Valter, de um lado para outro, feito baratas tontas, meio sem ter o que fazer. Aliás, eu bem que tenho. Já já vou para máquina de novo. Como o frio, não está querendo ir embora, acaba me beneficiando. Ainda tenho algumas blusas para entregar.
Aí desocupo o PC para o Valter, temos que fazer rodízio.
Mas o que eu gosto mesmo, é do verão e do calor, com eles saímos cedo para caminhar, fica tudo mais gostoso, até o humor melhora e muito.
 Posted by Picasa

AH! QUE SAUDADES!

Com o tempo assim, mais um final de semana que vamos ficar sem o nosso pequeno.
Estamos aqui, com nosso coração apertadinho de saudades.
Aí ficamos curtindo as fotos dele. Essa aí, ele tinha três aninhos, sempre gostou de imitar o vovô. Com os óculos e o jornal do vovô, exatamente como o via fazer.

Só não temos a presença física, porque está sempre presente no nosso coração.
 Posted by Picasa

quinta-feira, setembro 28, 2006

SUBMISSÃO

Visitando um amigo, Júnior, e comentando em seu post, achei que poderia falar mais sobre o assunto que falei lá: submissão.
Encontrei um texto legal aqui, e até copiei este trecho que mostra com clareza, o que é a submissão.

A esposa diz para o marido, com o olhar vagando no espaço, como se procurasse apoio, sem encontrar: “É, preciso te falar uma coisa. Espero que você não fique chateado comigo, mas é que...bem, você sabe...”. A garota ensaia começar uma conversa com o pai: “Sabe o que é? Na verdade...”. O empregado, com as mãos suando, dirige-se ao chefe: “Ó, é o seguinte” e sente a voz fugir. Embaraçado, ele tenta de novo: “Bem, é que, na realidade...ó”. E continua tentando, agora experimentando outras tantas palavras que, fora de contexto, não esclarecem absolutamente nada como “enfim”, “de fato” e “praticamente”.
Pois é, o incrível é que ainda nos dias de hoje, é muito comum depararmos com pessoas submissas. Esposas que ainda buscam os chinelos do senhor, prepara-lhe o banho, e reserva o bife maior para ele.
E não são só mulheres que são submissas, na verdade o que falei lá no post do Júnior é da submissão do povo brasileiro, que aceita regras ditadas por um bando de políticos safados e de má fé, que se prevalecem dessa submissão.
Pessoas que trocam seu voto, por uma bolsa esmola, ou um punhado de tijolos.
Falta um pouquinho de boa vontade para orientar essas pessoas, dizer a elas, que as coisas podem ser melhores, se no poder tivermos pessoas honestas, que não vão roubá-las, gastar o dinheiro do seu suor, em viagens desnecessárias, em mesas riquíssimas. Coisa que a maior parte dessas pessoas nem conhecem, mas pagam.
E aceitam, baixam a cabeça, e argumentam, "eles roubam, mas fazem". "Minha vida melhorou muito, depois que comecei a receber a bolsa esmola"
Que pena, vão continuar buscando os chinelos dos putos dos maridos, e gostando, dizendo que estão cumprindo com sua obrigação.
Falando nisso, lí um texto de extrema inteligência, palavras ditas com muita propriedade, leiam Aqui

segunda-feira, setembro 25, 2006

VOCE É UMA AVESTRUZ?

Não gosto de falar de política aqui.
Mas estou viva.
Nós brasileiros somos um povo bom, solidário, bons afintriões. Temos tudo de bom.
Não merecemos o que está aí.
Então, penso: o que posso fazer? Qual é a minha parte?
Imaginem:
Uma linda mulher: bunda grande e perfeita (ah! esqueçam as celulites), os peitos que todo homem deseja, enfim, quase sem defeitos. Mas a cabeça! Que pobreza, nada pensa, nada faz, só quer mostrar o que atrai olhos desejosos, mas que ninguém compra. Claro porque homem também não é burro.
Outro.
Corpo sadio, pernas que andam muito, braços que trabalham incansavelmente, tudo funciona. Mas a cabeça está doente, dói. Precisa de tratamento.
Assim está nosso país. O povo é uma maravilha, mas o que deveria funcionar bem, está podre, doente. A cabeça deveria estar em boas condições de determinar o que o resto do corpo deveria fazer. Afinal está na cabeça o comando de tudo, não?
E o cérebro do nosso país está comido de traça, o cupim perfurou tudo.
Assim, tive que parar e pensar, não posso simplesmente deixar que outros decidam por mim, e ver o corpo sofrendo cada vez mais, por culpa da cabeça.
Depois dizer: Ah! não tenho nada com isso, afinal não coloquei eles no poder. Isso é fugir da responsabilidade, enfiar a cabeça no buraco feito avestruz.
Pois bem ,não serei mais uma avestruz.

sexta-feira, setembro 22, 2006

SEXO NA MELHOR, E EM TODAS AS IDADES!


Na maturidade, inúmeras dúvidas já foram sanadas, experiências já foram avaliadas e a oportunidade de se auto-redescobrir torna-se viável. É justamente na idade mais madura que podemos reavaliar nossos próprios conceitos e valores, assumindo novos caminhos e abandonando os ultrapassados.

Pode até dividir, compartilhar suas sensações, mas jamais perder de vista que a vida sexual é responsabilidade sua, somente sua e de seus próprios preconceitos.
Apesar de hoje em dia grande parte do conhecimento poder chegar à maioria da população, ainda encontramos, além de vícios de uma educação repressora em determinadas tradições que inibem a expressão da sexualidade, uma falta de valorização da nossa vida sexual.
Com o avanço da idade há uma tendência a diminuição da função sexual havendo uma queda na freqüência das relações sexuais. Após a menopausa a mulher pode apresentar problemas sexuais como a diminuição da libido, falta de orgasmo, diminuição da lubrificação da vagina e dor durante a relação sexual, distúrbios estes plenamente corrigidos com o uso de medicação apropriada (reposição hormonal). O homem pode apresentar impotência devida a problemas circulatórios e à diminuição da sensibilidade na região do pênis, mas na grande maioria das vezes a impotência se deve a fatores emocionais. A utilização de determinados medicamentos (antihipertensivos, tranqüilizantes, etc ) podem provocar a impotência no homem. O álcool e o fumo também podem diminuir a potência sexual.

A atividade sexual permanece na terceira idade, havendo somente uma diminuição na sua freqüência. O sexo na terceira idade, alem da satisfação física, reafirma a identidade de cada parceiro, demonstrando que cada pessoa pode ser valiosa para a outra.

Junto ao sexo também estão valores muito importantes na terceira idade: a intimidade, a sensação de aconchego, o afeto, o carinho, o amor.
Tanto o homem como a mulher continuam a apreciar as relações sexuais durante a terceira idade. As alterações que ocorrem na mulher (como a secura da vagina, por ex ) ou no homem ( como a diminuição no tempo de ereção) ou a diminuição da fase de excitação para ambos, não são fatores que chegam a prejudicar o prazer sexual. A boa adaptação sexual é o principal fator que determina o prazer sexual.

Achei muito interessante a matéria, embora, claro, há prós e contras, pesquisas são pesquisas, porém cada um sabe de sí. É interessante assuntos assim, porque muitas vezes, a gente vê coisas que desconhecia, e então, acaba por esclarecer dúvidas.
Lí uma frase interessante que diz que: Sexo na maturidade é como fruta madura, mais doce, melhor de saborear.
Mas acho que todos os estudos sobre o assunto, servem apenas e tão sómente de parâmetros, cada um é cada um. Tem coisas que não tem muita explicação, acontecem.
O corpo de cada um de nós, claro que manipulado pela "caixa preta" que é a nossa mente, as vezes torna-se desconhecidos até de nós mesmos.
Na verdade acho que o que determina uma vida mais ativa sexualmente, e até muito mais verdadeira, e gostosa de se viver é ainda livrar se do preconceito. Coisas que enfiaram em nossa cabeça, que sexo é coisa feia, que prazer é coisa de homem e de prostituta. Mulher casada e honesta, não tem tesão, orgasmo, e odeia sexo, só o faz para satisfazer o fogo do puto do marido, e para ter filhos enquanto em idade de procriação.
O que sei é que apesar de todos os perigos, de todas as incertezas, de todos os mistérios que existem, não tem coisa melhor que "virar o zóinho", isso em qualquer idade.
Alguém discorda?

quinta-feira, setembro 21, 2006

TEXTO NOVO


Queridos amigos, temos um texto novo, muito bom no
Livros & Afins, o texto é do Ery Roberto, e vale a pena dar uma olhada, e até conversar com ele sobre o assunto.
Concordar ou não.
Para quem gosta da poesia do Mário Quintana, vai se deliciar.
Quero até agradecer nossa amiga Luz, que se animou e colocou até uma poesia dela nos comentários.
Luz, queremos publicar sua poesia.
Um abraço a todos.

terça-feira, setembro 19, 2006

E A FESTA CONTINUA!

. Hoje ela está mais ou menos assim, não é tão recente, mas não mudou muito.
Há 25 anos, dia 19 de setembro de 1981, nasceu Camila, nasceu em Pres. Prudente interior de S. Paulo, lá morava toda a minha família.
Tínhamos optado por fazer uma laqueadura de trompas, e os meninos pequenos, Pablo com 4, e Tiago com 2 anos, precisa de alguém que cuidasse deles enquanto eu estivesse no hospital.
Foi muito mais tempo, do que prevíamos. Tive um problema pós parto, e acabei por ficar no hospital durante 20 dias.
A Camila era um cisco. Nasceu com 47cm, e pesava 2,530kg.
Ao completar 30 dias, tinha aumentado apenas 400grs no peso, foi necessário acrescentar mamadeira como complemento alimentar, e ela claro, não quis mais o peito.
Foi uma criança doente, fraca, por duas vezes quase a perdemos, com desidratação fortíssima.
E não parou por aí, foi crescendo, e cada dia mais bonita, começou o desespero do pai. Deu muita dor de cabeça.
Aos dezessete anos engravidou do Erick, antes dos dezoito, era mãe.
Hoje olho para este rostinho que amo tanto, e penso em tudo que já aconteceu.
Chegou o Alessandro, que nos parece amá-la muito. Tem muito cuidado com ela, e com o Erick. Isso nos deixa felizes.
Para o Erick, não tem ninguém mais importante que a mãezinha dele.
Na verdade ela é uma pessoa muito amada. Tem uma facilidade incrível de fazer amigos.
Continua a ser o bebê da casa, embora ela não acredite nisso. Tem mania de achar que todos gostam mais dos irmãos que dela. Tem ciúmes até do Erick, diz que todo mundo só se preocupa com o Erick, e esquece dela.
Filha querida, parabéns, que Deus pai lhe dê toda a felicidade do mundo. Que seus dias sejam de flores, de cores, de muita alegria, só de alegria.
Nós amamos voce. Receba hoje especialmente um beijo da mãe, do pai, do Pablo, do Tiago, do Erickinho, com todo nosso carinho.

NA RUA, LUGAR QUE ELA GOSTAVA MUITO!!!

Posted by PicasaCamila aqui com quatro anos e meio, o bonecão que ela tanto gostava, era quase do tamanho dela.
Não deixava essa boneca, o dia todo.

segunda-feira, setembro 18, 2006

domingo, setembro 17, 2006

REENCONTRO.

As nossas manhãs aqui são assim: tranquilas, é bem uma cidade do interior, só que temos as praias. Saímos pela manhã para caminhar, as vezes pelas ruas próximas, outras à beira mar. O que se respira à beira mar, é uma delícia.De volta, vou para a máquina trabalhar, tenho que aproveitar o finalzinho do inverno, pois é a melhor época do ano, para o meu trabalho.O Valter me ajuda, fazendo a divisão e enrolamento dos fios.Quando não há trabalho para ele, senta aqui no PC, para visitar os amigos, e deixar o meu blog como sempre esteve, e agora está.Nos finais de semana, que os meninos podem vir nos ver, temos a agradável companhia deles, quando não, ficamos só, embora isso não seja ruim não.Gostamos dessa tranquilidade.Ontem tivemos a grata surpresa de receber aqui um casal. Pois é, o mundo virtual mais uma vez aproximando as pessoas. Angela é minha amiga do tempo se solteira, morávamos na mesma cidade no interior de S. Paulo. Há 30 anos não nos víamos.Ela me descobriu no orkut, deixou um recado, e começamos a nos falar. Descobrimos que ela tem uma casa de veraneio, aqui bem pertinho da nossa casa.Trocamos telefone, e ontem como eles desceram para casa deles, me ligou, e vieram aqui, à noitinha.Passamos horas agradabilíssimas, e claro não faltou assunto, tínhamos muito que lembrar.Aliás, já marcamos outro final de semana, agora para irmos à casa deles.Ficou ainda, muito assunto guardado. Claro, não teríamos conseguido falar sobre tudo que vivemos em tantos anos de infância e adolescência.A cidade em que morávamos, é uma cidade muito pequena, portanto todos se conhecem. Depois cada uma tomou um rumo diferente na vida. Por coincidência, ou não, nos reencontramos, e vamos procurar não nos perdermos mais. Posted by Picasa

quarta-feira, setembro 13, 2006

Olha o carinho do Pablo, com o afilhado, Erick, é só carinho! Posted by Picasa
Que cara de malvado, ensinando o bebê Erick, o que se faz em um aniversário em nossa casa. Posted by Picasa
Pablo aos oito anos, aprontando, é claro! Posted by Picasa
Pablo no dia do aniversário de sete anos. Posted by Picasa
Pablo aos sete meses. Posted by Picasa
Pablo aos oito meses. Posted by Picasa

FELIZ ANIVERSÁRIO!

Hoje estou assim: “Choca”.
Claro, todos os anos me sinto assim.
Hoje meu filho faz 29 anos. Há 29 anos, me sinto uma mulher realizada.
Aliás, foi ele, o Pablo, que realizou meu sonho maior de mulher, o sonho de ser mãe.
Todos os anos o filme volta à cabeça, e é como se tivesse acontecendo hoje.
Éramos jovens, eu e o Valter, mas desejamos muito esse filho. Aí, claro, foi os nove meses mais longos de nossa vida.
Enfim, ele chegou, forte. Nasceu com 3,700kg, e com 52cm. Para uma mãezinha, que media apenas 1,50cm, e antes de engravidar, pesava 39kg, nasceu forte.
Bom a alegria foi total. O Valter bem molecão curtiu como um moleque mesmo.
Tem um amigo, Wilson Falchi, que na época estava bem próximo, e curtiu também a chegada do bebê. Ele era o melhor amigo do Valter, e estava solteiro ainda. Portanto o Pablo foi o bebê de todos.
Nos dois primeiros anos, até a chegada do Tiago, ele foi meu companheirinho, o Valter ia trabalhar, e ficávamos os dois. Fui aprendendo com ele a ser mãe, a educar, a ter tolerância algumas vezes, outras pensando em educar, me zangava, me irritava mesmo, dava-lhe umas palmadas, e claro, muitas vezes errei, querendo acertar.
Aos cinco anos apareceu uma bronquite, que nunca mais o deixou, é companheira até hoje. E por conta dessa doença, muitas vezes eu e o Valter, tivemos que amanhecer ao seu lado na cama, com medo que morrese sem respiração.
Quantas vezes, saímos na madrugada, carregando-o nas costas, para levá-lo à um pronto-socorro atrás de inalação, ele já estava maior que o meu corpo podia agüentar, mas Deus dá forças, e eu o carregava, com as pernas lá embaixo batendo nas minhas canelas, mas o levava, afinal ele não conseguia andar, por conta da falta de ar.
Bom tudo isso são lembranças, que gosto de tê-las, mas o importante de tudo isso, é dizer que o amo, que tudo isso que fiz, faria de novo.
Porque, meu filho, o seu sorriso me faz sorrir, a sua alegria, me faz feliz. Ainda hoje, queria ser um parapeito, para protegê-lo de todas as dores, de tudo de ruim que o mundo possa lhe oferecer.
Sei que não posso. Mas quando te vejo triste, é o meu coração que dói, uma dor que analgésico nenhum cura. E vai ser sempre assim.
Pablo meu filho, seja muito feliz, que Deus abençoe todos os dias da sua vida, que você sorria muito, que tenha saúde, paz, dinheiro, e especialmente muito amor.
Já te disse isso, mas vou repetir, não te coloquei no mundo para sofrer, mas sim para ser um vencedor. E você há de ser.
PARABÉNS! SEJA FELIZ!
Um beijo do pai, do Guinho, da Mila, do Erickinho, e principalmente da sua mãe, que te ama sem ressalvas.
Esta foto mostra bem o meu estado de espírito, a expressão de felicidade, de mamãe de primeira viagem, com seu bebê de dois meses.
 Posted by Picasa

segunda-feira, setembro 11, 2006

É isso. Cá está você de template novo, por força das circunstâncias. Infelismente nem tudo é exatamente como a gente quer, já dizia uma música do Guilherme Arantes. Enfim, estamos aqui. Agora só nos resta avisar aos amigos, dar o novo endereço e torcer par que eles compareçam. Este é apenas um post de reabertura. O teu eleitorado voce conhece melhor que eu. Torço para que tudo dê certo neste novo visual. Sem vírus, sem contratempo. Espero.
Um beijo e boa sorte para nós.
Valter