terça-feira, novembro 21, 2006

ELES NÃO TINHAM O DIREITO (PARTE II)

Bom, vamos continuar com a história.
Antes de mais nada, como já surgiu a dúvida, quero esclarecer que a história é verídica. Apenas mudei os nomes dos personagens, para não expor outras pessoas, são pessoas queridas, mas eu não pedí autorização para falar de suas vidas.
Também como houve comentários, realmente tudo que aconteceu, foi sim fruto da ignorância, da falta de orientação, mas sinceramente não creio que em nenhum momento houve falta de amor, apenas falta de jeito de lidar com a situação.
Antonio contou todo o drama à irmã Luzia, e a levou para ver as crianças.
Rosa estava trabalhando.
Conversaram, e resolveram então, que tinham que tirar as crianças dalí, afastá-las da miséria em que estavam vivendo.
Combinaram tudo, e, no dia seguinte, enquanto Rosa trabalhava, eles tiraram as crianças, e Luzia as trouxe para S. Paulo. Com o consentimento do pai.
Qual não foi o desespero da mãe, ao chegar, e não encontrar seus filhos.
Mais uma vez, a falta de instrução, ou a ignorância, como queiram chamar, falou mais alto. No auge de seu desespero, só lhe restava chorar, sofrer como cão sem dono.
Nada podia fazer, afinal as crianças tinham viajado com a tia, mas com o aval do pai, também responsável pelos menores.
Sentia os peitos doerem, cheios de leite. Dirce deveria estar querendo mamar.
Por outro lado, Luzia ao chegar em casa com as cinco crianças.
Cabe aqui lembrar, uma das crianças não foi, já morava com a avó, era Orlando, o terceiro filho do casal. Pois bem, e agora o que fazer com todas essas crianças.
Era viúva, e não poderia sustentá-los.
Resolveu então falar com os amigos, e distribuiu os filhos de Rosa, um para cada "amigo".
Ela tinha certeza, eles iriam ficar bem, e em poucos dias, cada um tinha um novo lar.
Ainda tem história.

4 comentários:

Sonho Meu disse...

Oi Ana,
Por que a Tia e o marido nao se juntaram e fizeram um ato menos tragico que esse ? Separar mae de filhos, irmaos de irmaos. Sair espalhando os coitados e sofridos inocentes como se fossem animais de estimaçao. Nao sabiam eles que a tragedia seria bem maior ?
No final das contas..."Deus que quiz!"
Bjos,
me

O Meu Jeito de Ser disse...

Tem mais Elena, aguarde.
Beijos

Divã de Noiva disse...

estou fincando anciosa com essa historia ...rsss

Dani disse...

Oi Ana... tb to participando do amigo secreto da Meiroca e vim visitar seu blog por causa do sobrenome... de onde vem sua familia Pontes?!!?
Acabei ficando curiosa... qdo continua a historia?!!?
Beijos, Dani