terça-feira, fevereiro 20, 2007

HÁ QUE SE PENSAR!


Propositadamente, deixei passar alguns dias, depois da blogagem coletiva sobre a violência cometida contra uma criança indefesa, e sua família, como foi o caso do menino João Hélio.
Mas queria voltar ao assunto, para falar de um tópico, que aliás toquei naquele post, que é a intolerância, e por que não dizer violência, também que cometemos contra aqueles que cometeram o crime e suas famílias.
No dia em que foram presos, as pessoas, diante da delegacia, tentando extravasar sua raiva, e o lado violento que todo ser humano tem, queriam a todo custo colocar as mãos naqueles que foram o motivo de tanta dor para a família do garoto.
Em outra ocasião, tentaram apedrejar a casa dos pais de um dos assassinos.
Temos esse direito? Não estamos nos igualando à eles, quando colocamos nossa raiva prá fora? Será que estamos sendo melhores que eles?
Conheci uma família, gente honesta, trabalhadores. O casal tinha dois filhos. Sempre lutaram para criar e educar os filhos.
Tinham uma vida mais ou menos confortável, sem problemas financeiros maiores.
Pois bem, um belo dia, um dos filhos, o mais novo, envolveu-se com os "dito" amigos, em um roubo.
Foi o desabamento de tudo, do mundo, da alegria, até da saúde.
Eles, assim como ninguém que os conhecia, podiam aceitar que aquilo tinha acontecido.
Era muita dor, ver um filho na prisão.
Muitas vezes, como amiga e vizinha, ouví da mãe entre lágrimas, pedir perdão à Deus, e dizer: Será que não seria melhor se Deus tivesse levado meu filho para junto dele?
Pelo menos não veria tanto sofrimento dele dentro da prisão, dormindo no chão, cheio de insetos, chão frio, fora o tratamento que têm.
Bom, ele esteve preso por um pequeno período de mais ou menos três meses, era réu primário, e respondeu o processo em liberdade. Claro, que a família o ajudou a se recuperar, deram emprego, que ele não iria conseguir, se não fosse dessa forma.
Ele conseguiu. Nunca mais se envolveu com a criminalidade.
Mas, tem um outro caso muito mais triste, que também acompanhei.
O que quero dizer com isso, não é que tenhamos que perdoar, ou deixar prá lá, um caso tão triste como esse, mas que devemos lutar para que mude as leis, que elas existam em igualdade para todos.
Que não temos o direito de querer vingança, de querer fazer com eles, o mesmo que fizeram com os pais do João.
Há de pensar sim, no coração dessa mãe, que está vendo seu filho na prisão. Será que quando acalentou aquele bebê, que gerou e deu a luz, pensou ou quiz um futuro desses para o seu filhinho?
Não chora ela hoje, e se pergunta: Onde foi que eu perdí o meu bebê? Para quem eu perdí meu filho?
Mãe é sempre mãe. Mesmo que involuntariamente seja mãe de um assassino.

7 comentários:

Luz disse...

Claro que ninguém tem o direito de apedrejar a casa dos pais, de seja lá quem for.
Quando uma mãe "perde" um filho, por causa dos males feitos da vida... temos mais que ser solidários para com ela.
A raiva por vezes é mortífera, e faz-nos cometer actos tresloucados.
Que Deus ampara todo o sofrimento do mundo e das mães sofredoras.

Aninha, seu texto tem todo sentido, é bom reflectimos perante as injustiças...

Um Grande Abraço!

O Meu Jeito de Ser disse...

Luz,e é esse sentimento de raiva, que temos que evitar.
Deixar que a justiça faça a sua justiça.
E, claro lutar,para que ela seja realmente justa.
Beijos

bambam disse...

muito interessante esse seu texto!

Cecília disse...

Acredito que quem comete algum crime tem que pagar sim pelo que fez, e que a pena deve ser de acordo com o grau do delito cometido e que não importa a idade, tem que ser punido sim, porém não concordo com o sistema prisional do Brasil... Acredito que se gasta muito mantendo uma pessoa presa, deveriam dar estudo e trabalho e claro, dependendo no nível do delito cadeia e penas mais rígidas...
E não, a sociedade não tem o direito de punir a família pelos crimes de um filho, sobrinho, pai (com relação às pessoas que queriam apedrejar a casa de um dos assassinos do João).

Gostei do seu blog. Vi um link lá no DO!!!

Bom fim de semana!!!!

Adelino disse...

Olá, ANNA!
Aquilo que te falei lá no blog. Logo que abre aqui aparece uma janelacom a seguinte mensagem: ERRO DE PLUGIN - OCORREU UM ERRO DENTRO DE UM PLUGIN CONTIDO NESTA PÁGINA.
Dado o OK, reaparece. Outro OK, vamos para a caixa de comentários.
Vamos ver ser consigo mandar o comentário agora.
Abraços
Adelino

Adelino disse...

Então, ANNA, acho que vai funcionar. No holoscam tem mais comentários, mas prefiro o comum.
Abraços

Divã de Noiva disse...

OI querida, desculpe a ausencia...masi to de volta....otima semana e um grande abraço!