sábado, maio 12, 2007

MÃE!


Sua vida era sempre a mesma rotina.
Muito trabalho para sustentar os filhos. O marido não podia dizer que fosse uma pessoa ruim, mas não tinha a destreza dela, que corria de um lado a outro com afazeres domésticos, e o trabalho duro na roça, para o sustento de todos. Eram dez filhos, que vivera, fora aqueles que perdera e que ela contava também como filhos.
Tinha pulso firme, tomava todas as decisões, o marido simplesmente a acompanhava, afinal não podia passar a imagem de alguém que não se esforçava muito no trabalho.
Ele aos poucos foi adoecendo, e logo tornou-se uma pessoa realmente doente.
Ela não podia se dar ao luxo nem de ficar doente.
Assim foi sua vida, atribulada.
Nunca disse à um filho: eu te amo. Não sabia dizer isso, nunca dava um beijo em nehum dos filhos, também não sabia como fazer isso. Mas não era necessário. As suas ações e reações com os filhos, demonstravam claramente seu amor por eles.
A maneira que sabia educar os filhos, que aprendera, era muitas vezes em posse de um cinto, quando algum deles cometia algo errado, não pensar duas vezes e usar aquele cinto.
Criou os seus filhos.
Todos estavam casados, e ela ficou viúva. Perdera o companheiro de tantos anos, não se deixou abater.
Ainda tinha missão a cumprir.
Filho preferido? Dizia ela: Toda mãe têm. O filho preferido é aquele que sofre, que precisa de mim.
Agora já não trabalhava mais. Não porque não quisesse. Os filhos não deixaram mais, afinal, ela tinha a pequena pensão do marido, e isto era suficiente prá ela.
Como sua missão agora estava quase cumprida, tornou-se uma pessoa mais leve, mais sorridente, companhia agradável, todos gostavam do seu jeitinho.
Foi uma vida tão difícil, mas se algum dia chorou, foi sózinha, ninguém nunca havia visto, até que em dois momentos diferentes perdera dois de seus filhos.
Isso era mais que podia suportar. Dizia ela: Nenhuma mãe deveria enterrar seus filhos.
Um deles com quase cinquenta anos, teve um infarto, e se foi.
O outro aos trinta e sete anos. lhe arrancaram dos braços. Foi assassinado. Aí sim, toda sua carne dilacerada se contorcia, e as lágrimas que existiam, vieram à tona.
Passou daí em diante a ter problemas cardíacos. Mas continuou firme.
Nunca se entregava. Tinha sempre uma palavra de esperança, de amor, de vida para com todos.
Adotou todos os genros e noras, como seus próprios filhos, e os amou.
Amou com intensidade todos os netos, bisnetos, que teve oportunidade de conhecer.
Tornou-se amiga e cúmplice das netas, coisa que não pudera fazer com as filhas. Não tinha tempo prá isso.
Hoje fala-se muito em garra, em mulher guerreira.
Tenho certeza que ela nem sabia o que era isso.
Mas ela era. Era tudo isso e muito mais.
Ela era a minha mãe!
Se estivesse conosco, no próximo dia 15 faria 92 anos. Nos deixou há quase dez, com 82.
Tenho certeza que onde está, está feliz, ainda olhando por nós, preferindo ainda aqueles que sofrem por aqui, e fazendo todos os anjos do céu rirem muito, porque era assim que ela sempre foi.
Mãe, hoje quando ouço um elogio de alguém que gosta de mim, quando alguém diz que sou uma pessoa especial, naturalmete credito à ti, o meu jeito de ser. Me fizeste boa.
E eu ainda te amo tanto.
Desejo à todas as minhas queridas amigas mães, um lindo e feliz dia das mães.

15 comentários:

Danny Barros disse...

Ai Aninha, que lindas palavras tuas pra tua mãe...fiquei emocionada... e como toda mãe sabe das coisas... vc já foi lá em meu blog e me deixou aquela singela mensagem... tristeza não... eu tb preciso de outros amores... e com certeza os terei... obrigada por suas palavras doces de quem tem olhos de ver , ver sem palavras, de escutar sem ouvir... nunca falaei nada expliícito mas seu coração captou as minhas dores... obrigada por sua amizade e por suas visitas... Um beijo no seu coração e de sua mãezinha que está lá de onde os anjos vivem olhando por todos vocês... sinto falta de minha mãe, ela se foi faz 3 anos apenas aos 64... ainda tinha muito pra viver... mas deus precisava mais dela do que eu... enfim... é a vida...
beijos na filha tb e no netinho, na familia toda...rsrsrsrs.

Eduardo P.L. disse...

Aninha, muito bonito o disse de sua MÃE. Parabéns a você pelo seu dia. E cadê o SELO Award ? A Meg acaba de te premiar. PARABÉNS. Fico muito contente que tenha ganho esse mimo, logo neste dia! Valeu.E quero saber dos seus cinco preferidos.Bjs

Luz disse...

Aninha
Sabe lá as vezes que venho aqui?
Começo a escrever meu comentário e… chamam por mim: “Mãe vem aqui ver isto”, Mãe onde está minha camisola branca”, “Amor, quando acabas de fazer a janta?”, “Luz Maria querida da minha vida, olha as horas, vamos, anda lá rapariga”…
E eu grito: Vão para o diabo que vos carreguem, deixem-me em paz…

Neste momento, quero lá saber se tenho a cama por fazer, acender as brasas, descascar as batatas, sacudir os tapetes, dar banho aos cães.

Não, não, hoje tenho que falar. Aninha, adorei conhecer sua MÃE, me identifico muito com ela… às vezes é tão difícil ser MÃE… por vezes temos que pedir ajuda do céu.

Todos os dias são das Mães, das Sogras, das Amigas, das Vizinhas… mas tenho dias que desejo se esquecem de mim…

Beijos de Luz que ama teu sentimento.

valter ferraz disse...

Amore, saudades da véia. Faz tempo, né?
Um beijo para vc neste dia
e para ela as preces de costume.

Divã de Noiva disse...

;;;Vim desejar um lindo dia das maes, bem Brasileiro. BJs

marilia disse...

Aninha, amiga...Claro que voce tem muito a dizer de sua mãe, pois foi dela que veio parte desse carinho que vc distribuiu.
Me emocionei com suas palavras e sobretudo com a música que hoje esta nos recebendo em seu blog.
Minha mãe fará esse ano 80 anos1 não imagino minha vida sem meus pais, os quais tenho até hoje, em umpresente especial de Deus...
Eles são minha força, e espero que nós, mães de agora, possamos ser para nossos filhos o que eles, nossos pais foram para gente...
Amor, e muito carinho... beijos, e que seu dia hoje tenha sido peno de momentos bons...
o meu foi! Beijão

marilia disse...

Oi...desculpe os erros de portugues, mas o carinho continua igual...rsssss

Bela disse...

Sabe amiga,perdi minha mãe há pouco tempo, dois anos ,mas eu digo como você, se eu tiver algo de bom, que eu acho que tenho eu devo a ela.E não há um só dia que eu não lembre muito dela.
Um grande beijo .
Te admiro muito.

O Meu Jeito de Ser disse...

Danny querida, obrigada pelo seu carinho.
Você entendeu né? Bola prá frente, muita alegria, tudo que não lhe proporcionar alegria, deixe de lado. Não vale a pena sofrer.
A vida é muito curta, temos que ser felizes.
Tenho certeza que sua mãezinha está cuidando de você.
Beijos querida.

O Meu Jeito de Ser disse...

Bom Eduardo, acho que a minha resposta chegou um pouco tarde né?
Agora ele já está lá, e publiquei logo os dois que ganhei.
Obrigada pelo seu carinho pelo dia das mães.
Um beijo

O Meu Jeito de Ser disse...

Luz querida, seus comentários sempre me enchem de alegria.
Você éuma amiga especial, que consegue fazer com que vejamos a vida de uma maneira mais alegre, mais palhaça mesmo. E é bom ver a vida assim.
Um beijo super mãe.

O Meu Jeito de Ser disse...

Amor, e quantas saudades né?
Você sabe bem como era, era um dos preferidos dela.
Vamos sim, sempre orar por ela.
O meu beijo

O Meu Jeito de Ser disse...

Eni querida, obrigada meu bem.
Você é mais uma das filhinhas que consegui por aqui.
Um beijo

O Meu Jeito de Ser disse...

Marília querida, obrigada por suas palavras.
Você tocou num ponto importante, procuro ser um pouquinho para meus filhos e neto, o que ela foi prá nós, um exemplo de força e de coragem.
empre com um sorriso a nos presentear.
Curta bastante a sua mãezinha, todos os momentos.
Um beijo, é bom bom te ver por aqui, saindo do casulo.

O Meu Jeito de Ser disse...

Bela minha querida sabemos bem o que é essa perda, dói, temos que procurar seguir sempre os exemplos delas, que só nos deixaram coisas boas.
Um beijo