terça-feira, outubro 03, 2006

DEPRESSÃO, O MAL DOS TEMPOS ATUAIS?

É impressionante como a cada dia mais e mais pessoas sofrem de um mal terrível, até desconhecido de muitos.
A Depressão.
Existe ainda um sentimento de culpa por sofrer de depressão.
Hoje conversando com uma conhecida, que não via há muito tempo, ela me contando de uma outra pessoa conhecida nossa, havia passado maus momentos com depressão, e o quadro foi se agravando, levando a problemas cardíacos, que a levou a morte.
Tenho visto e ouvido muitas pessoas ao meu redor queixar-se desse mal, então fui ler alguma coisa, e achei coisas muito interessantes como esse texto, encontrei aqui:
Segue o texto, porém lá tem muito mais.
Depressão é uma palavra freqüentemente usada para descrever nossos sentimentos. Todos se sentem "para baixo" de vez em quando, ou de alto astral às vezes e tais sentimentos são normais. A depressão, enquanto evento psiquiátrico é algo bastante diferente: é uma doença como outra qualquer que exige tratamento. Muitas pessoas pensam estar ajudando um amigo deprimido ao incentivarem ou mesmo cobrarem tentativas de reagir, distrair-se, de se divertir para superar os sentimentos negativos. Os amigos que agem dessa forma fazem mais mal do que bem, são incompreensivos e talvez até egoístas. O amigo que realmente quer ajudar procura ouvir quem se sente deprimido e no máximo aconselhar ou procurar um profissional quando percebe que o amigo deprimido não está só triste. Uma boa comparação que podemos fazer para esclarecer as diferenças conceituais entre a depressão psiquiátrica e a depressão normal seria comparar com a diferença que há entre clima e tempo. O clima de uma região ordena como ela prossegue ao longo do ano por anos a fio. O tempo é a pequena variação que ocorre para o clima da região em questão. O clima tropical exclui incidência de neve. O clima polar exclui dias propícios a banho de sol. Nos climas tropical e polar haverá dias mais quentes, mais frios, mais calmos ou com tempestades, mas tudo dentro de uma determinada faixa de variação. O clima é o estado de humor e o tempo as variações que existem dentro dessa faixa. O paciente deprimido terá dias melhores ou piores assim como o não deprimido. Ambos terão suas tormentas e dias ensolarados, mas as tormentas de um, não se comparam às tormentas do outro, nem os dias de sol de um, se comparam com os dias de sol do outro. Existem semelhanças, mas a manifestação final é muito diferente. Uma pessoa no clima tropical ao ver uma foto de um dia de sol no pólo sul tem a impressão de que estava quente e que até se poderia tirar a roupa para se bronzear. Este tipo de engano é o mesmo que uma pessoa comete ao comparar as suas fases de baixo astral com a depressão psiquiátrica de um amigo. Ninguém sabe o que um deprimido sente, só ele mesmo e talvez quem tenha passado por isso. Nem o psiquiatra sabe: ele reconhece os sintomas e sabe tratar, mas isso não faz com que ele conheça os sentimentos e o sofrimento do seu paciente.
Sintomas Centrais:

Perda de energia ou interesse
Humor deprimido
Dificuldade de concentração
Alterações do apetite e do sono
Lentificação das atividades físicas e mentais
Sentimento de pesar ou fracasso

Outros sintomas que podem vir associados aos sintomas centrais são:
Pessimismo
Dificuldade de tomar decisões
Dificuldade para começar a fazer suas tarefas
Irritabilidade ou impaciência
Inquietação
Achar que não vale a pena viver; desejo de morrer
Chorar à-toa
Dificuldade para chorar
Sensação de que nunca vai melhorar, desesperança...
Dificuldade de terminar as coisas que começou
Sentimento de pena de si mesmo
Persistência de pensamentos negativos
Queixas freqüentes
Sentimentos de culpa injustificáveis
Boca ressecada, constipação, perda de peso e apetite, insônia, perda do desejo sexual
É um assunto que merece ser analisado, vale a pena olhar de lado, e observar se não há um dos nossos sofrendo desse mal, sem que tenhamos nos dado conta disso.

24 comentários:

Márcia(clarinha) disse...

Muito triste ver que uma pessoa chega a esse ponto e nem se dá conta...os familiares tem que estar atentos.
Saúde para todos nós querida!!
Linda noite flor
beijosssssssssss

Meire disse...

Muitos nao a considerao uma doença, mas e' tao triste ver uma pessoa querida neste estado.

Yvonne disse...

Aninha, não vou falar sobre depressão porque é um assunto triste. Minha mãe teve essa doença por quatorze anos.

Fiquei bestificada com o problema que você teve. Que loucura esse choque anafilático. Ainda bem que a sua história teve um final feliz.
Beijocas

Chiqueiro disse...

Eu tenho pessoas depressivas em minha familia e sei que não é fácil mesmo..

Roby disse...

Conheço muitas e muitas pessoas com este mal Aninha...
E olha, que já se passaram anos de tratamento intenso e nada resolveu.Estão sim é dopadas...drogadas...dependentes dos medicamentos.
Na verdade, estas pessoas que conheço, estão piores ainda...
*
Acredito até hoje, e nada me faz mudar de opinião, que a solução e a cura está na própria pessoa.
Ela mesmo sabe o que realmente sente láaaaaaaaa no fundinho de seu âmago.


Bjus amada!
Muito bom este post.

DO disse...

Infelizmente é algo muito silencioso que vai chegando,chegando...e qdo menos esperamos já se instalou.
Conheço muitos casos,Ana.
Dizem que é um dos "mal do século"!
Beijos!!

O Meu Jeito de Ser disse...

Márcia querida, é isso mesmo, nós familiares temos que estar atentos, essa doença é muito cruel, e nós não queremos isso prá quem amamos.
Um beijo

O Meu Jeito de Ser disse...

Verdade Meire querida, dói muito ver alguém que vc ama, sofrendo assim, e sentir-s inútil.
Beijos

O Meu Jeito de Ser disse...

Yvone, aqui nós comemoramos cada ano, como um novo ano de vida meu.
Por exemplo, este ano fiz 25 anos de lambuja.
Estou jovem, bonita e feliz.
Um beijo

O Meu Jeito de Ser disse...

Roby querida, está aí o segredo de tudo, proximidade, amor a eles, é o único remédio que temos para ajudá-los.
Beijos

O Meu Jeito de Ser disse...

DO, vc está certíssimo, ela vai chegando de mansinho, quando nos damos conta, ela já se instalou.
O Valter teve momentos muitos difíceis, hoje, aliás, depois da chegada do Erick, ele melhorou muito, mas não se livrou totalmente dela não, estamos o tempo todo atentos para ajudá-lo, é muito sofrido, é uma doença terrível, silenciosa, mas fatal, se permitirmos.
Um beijo

Chiqueiro disse...

Oi, valeu pela visita no meu blog e seus comentários!!! até a proxima:-))

Rosa disse...

Olá, vim te conhecer. Li seu texto e andei por aqui um pouco lendo outras coisas. Esse último lembra e ainda reforça-me pra ficar cada vez mais forte, uma vez que descobri que tenho uma estrutura emocional muito equilibrada, pois já errei tanto nesta vida e passei e passo por tantas tempestades e ainda sim consigo sempre buscar : seguir , nunca abandonar, bjus (gostei daqui)

Clarice disse...

Aninha, estou tão lenta em minhas visitas, em função do meu tempo menor na net estou devendo uma visita no "Livros e afins" e nos links sugeridos aqui. Mas chego lá qualquer dia.
Não é por falta de vontade, é que preciso mais tempo fora da net para organizar minha bagunça (que sempre deixo para depois). Os temas de teus post são ótimos e não consigo ler só o último.
"Sexo", falado mais abaixo, é um assunto que dá muito "pano pra manga". Por incrível que pareça continua sendo controvertido, apesar da abertura atual que já nos permite falar em voz alta. Mas dizer o que se sente ainda não é fácil, muito menos fazer.
Fico pensando sobre os males dos novos tempos. Será que eles não existiam antigamente ou nós não os percebíamos como síndromes? Tenho várias amigas em depressão e tomando medicamentos. Não lhes noto melhoras, ou apenas pouca. Isto me preocupa e não sei como ajudar. Não existe cura mágica e sem dor. Algumas pessoas resistem mais a qualquer ajuda.

Teu netinho está um fofo na foto. Dentro de 6 dias vou ver a minha flor e sentir seu cheirinho. 500 km nos separam.
Grande abraço

O Meu Jeito de Ser disse...

Rosa seja bem vinda, já fui lá em sua casa também, gostei, lí comentei em dois posts, gostei da clareza, e da forma que vc nos faz pensar nas coisas mais simples. Vou voltar.
Um beijo

O Meu Jeito de Ser disse...

Clarice é sempre bom recebê-la.
Acho que realmente esses males, são males do tempo, porque claro que antes tb existiam, mas em número muito menor, acho que tínhamos menos tempo para adoecer, não vivíamos as pressões que vivemos hoje.
As vezes eu digo, que criar meus filhos não foi fácil, mas agora para criar meu neto, e outros netos que virão, a situação é muito mais complicada, torna-se cada dia mais difícil. A oferta de drogas, doenças e promiscuidade fica cada vez maior. É ter fé em Deus, e entregá-los aos cuidados do mesmo.
Acho que nesse final de semana vou poder beijar e apertar muito meu pequeno.
Vc mande um beijo à Jasmim, e outro prá vc.

Cantinho da Cê disse...

Bom dia minha doce amiga,

Eu, mais que ninguém, sei o que é isso...
No meu caso são altos e baixos, seria uma fase de euforia extrema seguida da depressão extrema também...
Faço tratamento para manter-me em equilíbrio e faz tempo que quero postar sobre o distúrbio bipolar...

Obrigada meu anjo por tocar num assunto que muitos desconhecem e acham até que seja frescura...é um mal químico...aliado a vários fatores...

Minha luta para me tratar já vem de 2 anos, com terapia, medicamentos, e ainda assim tenho recaidas...mas sou uma guerreira e não me deixo abater, vou vencer isso tudo, tenha certeza...

Um beijo,

Miguel disse...

Ana,

Estes novos tempos mais exigentes de todas as formas fazem as suas mazelas ...!

Um sintoma com um numero crescente de "vitimas" ...!

Bjks da Matilde

Márcia(clarinha) disse...

Aninha querida,
que alegria!!
lá no topo da serra seu querido estará te esperando com o maior sorriso do mundo e o beijo mais estalado.
Boa viagem querida
lindos dias para todos vocês
beijosssssssssssss

chiqueiro disse...

Oie..gostei do seu blog e resolvi tel inkar no meu,ok?!

Inté mais:-)

Roby disse...

Aninha, desejo um óteeeeeemo final de semana pra ti linda, junto com teus tesouros!!
*
Olha, eu amandoooo nosso contato pelo orkut tb!
Tu és FANTÁSTICA AMIGA..TE ADORO VIU???

SOU SUA FÃ!!!

Luz disse...

Penso que todos nós já passamos por pequenas depressões. O trabalho, a vida familiar, as responsabilidades do dia a dia resultam por vezes a um cansaço legítimo e temos que estar atentos aos nossos sentimentos, nunca ter receio em pedir ajuda, afim de evitar cair num “poço sem fundo”.

Beijinhos, Ana

Meire disse...

vixe, acho q entendi, um dia vc comenta com um blog e outro com outro, por isso nao entendia que cada dia tinha um tempalte diferente..
Acho q andei distraida. hehe
bjs

Francy disse...

Oi amiga,
Depressão??? o mal do século!!
Nós sempre temos alguma forma de "banzo", na escola, no trabalho,em família, mas depressão da "braba" é uma doença muito séria e só há tratamento com "químicos" e muito amor dos entes queridos...
Obrigada pelas tuas visitas.
Estou um pouco melhor da coluna...
Bom final de semana!
Beijinhos,